Estiagem prejudica pecuária e compromete abastecimento de propriedades rurais em SC

Faesc alerta para situação de emergência nas regiões sul, planalto norte e planalto serrano

Por Redação Oeste Mais

05/06/2020 14h46 - Atualizado em 05/06/2020 14h50



A falta de chuva em outras regiões continua preocupando o setor produtivo em Santa Catarina e agravando os prejuízos no meio rural. Considerada a mais severa dos últimos 14 anos no Estado, a estiagem prolongada iniciada em julho do ano passado já reduziu em 10% a produção de milho, 7% de feijão e 20% do leite, e agora está impactando na atividade pecuária e no abastecimento das propriedades rurais.

 

Segundo o vice-presidente, Enori Barbieri, finalizada a safra de grãos, a falta de chuva passou a comprometer o abastecimento dos animais nas propriedades e o desenvolvimento das pastagens de inverno, o que tem impacto direto na produção da pecuária leiteira e de corte. 

 

Os problemas mais graves estão nas regiões sul, planalto serrano e planalto norte, onde a quantidade de chuva dos últimos dias tem sido menor que nas demais regiões.

Problemas mais graves estão nas regiões sul, planalto serrano e planalto norte (Foto: Divulgação)

"No oeste, extremo-oeste e meio-oeste tem chovido mais, o que ajudou na recuperação das pastagens, mesmo sem o restabelecimento hídrico total na maioria das cidades. Nas demais regiões, os produtores de suínos e aves estão tendo que complementar o abastecimento dos animais e até o consumo próprio com caminhões pipas", detalha Barbieri ao destacar que a situação para os produtores de leite é mais preocupante.

 

"Além das pastagens comprometidas pela estiagem, os pecuaristas não estão conseguindo compensar a alimentação dos animais com ração, devido ao alto custo da nutrição animal, influenciado pelos bons preços do milho e da soja no mercado. São dois problemas que provocam queda na produção de leite nestas regiões", sublinha.

 

O presidente José Zeferino Pedrozo chama atenção dos municípios para ampararem os produtores nas regiões mais afetadas. Em todo o Estado, mais de 90 cidades declararam situação e emergência, medida que assegura ações administrativas de auxílio à produção.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.