Destroços do caça da Força Aérea Brasileira que caiu há oito anos são recolhidos na região

Parte da estrutura do avião, que estava embaixo d’água, começou a aparecer devido à estiagem

Por Oeste Mais

24/04/2020 08h36 - Atualizado em 02/05/2020 13h54



Um helicóptero da Base Aérea de Santa Maria recolheu nesta quinta-feira, dia 23, os destroços do caça da Força Aérea Brasileira, que caiu no dia 6 de dezembro 2012 no lago da Usina de Machadinho.

 

Parte da estrutura do avião, que estava embaixo d’água, começou a aparecer devido à estiagem que reduziu o nível do Rio Pelotas, entre Zortéa e Machadinho (RS).

 

Assim que tomou conhecimento, a Base Aérea de Santa Maria solicitou ao Corpo de Bombeiros a localização exata e enviou um helicóptero para içar os destroços.

Destroços do avião foram recolhidos nesta quinta-feira (Foto: Destaque News)

O acidente

 

O caça realizava treinamento na região, quando o piloto atingiu a fiação de uma torre de alta tensão, que liga a Usina de Machadinho com a subestação de Campos Novos. Parte do avião ficou no meio da mata e outros destroços caíram dentro do lago.

 

O piloto, capitão aviador André Ricardo Halmenschlager, chegou a ejetar, mas acabou morrendo. 



Nota divulgada pela Força Aérea Brasileira de Brasília sobre o acidente



“O Comando da Aeronáutica lamenta informar que por volta das 9h40 desta quinta-feira (06/12), uma aeronave de caça da Força Aérea Brasileira (FAB), modelo A-1 (AM-X), caiu em Piratuba (SC), nas proximidades da Usina de Machadinho. O Capitão Aviador André Ricardo Halmenschlager, piloto da aeronave, faleceu no acidente.


A aeronave era do 1º Esquadrão do 10º Grupo de Aviação (1º/10º GAV), sediado na Base Aérea de Santa Maria (RS), e estava em missão de treinamento operacional. O Comando da Aeronáutica já iniciou as investigações para apurar os possíveis fatores que contribuíram para o acidente”.

Com informações do Caco da Rosa


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.