Motorista de caminhão que caiu no Rio Irani recebe visita de socorristas do Samu e Corpo de Bombeiros

Gelson Anselmi sobreviveu a acidente de trânsito nesta semana, na BR-282 em Ponte Serrada

Por Oeste Mais

12/03/2020 11h25 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Gelson Anselmi (camiseta branca) com amigos do Samu e do Corpo de Bombeiros (Foto: Divulgação)

O motorista Gelson Anselmi, de 53 anos, recebeu nesta quarta-feira, dia 11, a visita de socorristas do Samu e do Corpo de Bombeiros de Ponte Serrada. Ele sobreviveu a um acidente no início da semana, quando o caminhão que dirigia caiu no Rio Irani na manhã de segunda-feira, dia 9. A tragédia provocou a morte do ex-vice-prefeito de Ponte Serrada, Domingos Santo Santin, que estava na carona.

 

Um dia antes da visita, na terça-feira, dia 10, Gelson falou sobre o acidente em uma entrevista exclusiva ao Oeste Mais. Nesta quarta, colegas do Samu – onde ele também trabalha como socorrista já há 15 anos – e do Corpo de Bombeiros levaram bolo e refrigerante para celebrar a vida do colega.

 

“Tive uma surpresa muito grande. Eu sentado, muitas dores, a equipe toda dos bombeiros, Samu, veio me visitar, dar um abraço, desejar tudo na vida. Trouxeram a imagem de Nossa Senhora Aparecida, porque só Deus mesmo, só Deus para salvar a gente nessas horas. Foi muito bom ver os amigos aqui, dando um abraço, dando a solidariedade que a gente precisa”, disse após a visita.

 

Segundo ele, momentos assim dão força para superar o trauma. “Ver os amigos aqui em roda, te abraçar, é tudo na vida, dá um ânimo para a gente viver. É muito bom viver tendo amigos e fé em Deus e Nossa Senhora Aparecida. Agradeço essas pessoas que vêm me abraçar, dar um apoio. E também, tenho certeza, estão dando um abraço para a família do Domingos, a Albani e o Diego. Tão saudoso Domingos, meu colega, meu irmão. Ver ele se ir e não poder fazer nada. Deus chamou ele. Me deu uma chance. Agradeço”.

 

O motorista que dirigia o caminhão também fez questão de agradecer ao caminhoneiro que o levou para o hospital logo após sair da água nadando e subir o barranco em direção à rodovia. “Não sei o nome. Mas um herói de estrada, que tão solitário, parou para me ajudar, me carregar. Um agradecimento a ele, mesmo sem saber o nome. Que Deus ajude ele e sua família”, completou Gelson.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.