Galvão Bueno revela que não vai narrar Copa de 2022

Embora admita não conduzir os jogos, narrador diz que pretende estar no Qatar

04/03/2020 10h47 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



O narrador Galvão Bueno disse acreditar que não narrará a Copa do Mundo de 2022. A afirmação foi feita na gravação do programa Altas Horas, que vai ao ar no próximo sábado, dia 7. O ex-jogador Roberto Rivelino foi quem fez a pergunta, por vídeo exibido no programa, ao narrador.

 

"Em 2022, vai narrar Brasil campeão da Copa?", perguntou Rivelino. "Narrar 22 não vai dar, não. O projeto é estar lá. São 12 Copas, está bom", afirmou Galvão. "Não gosto muito de 13, não. Mas vou estar lá", completou ele.

 

A expectativa em torno da presença de Galvão Bueno no Qatar vem desde o fim da Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Depois da decisão entre Croácia e França, o narrador disse que "provavelmente" tenha sido seu último mundial.

Galvão Bueno revela que não vai narrar Copa de 2022 (Foto: Reprodução/TV Globo)

"Não sei se é minha última Copa do Mundo narrando. Talvez seja. Comecei em 74, mas se tiver sido minha última Copa narrando, e provavelmente seja, foi especial, emocionante, maravilhosa, como se tivesse sido a primeira. Foi uma Copa realmente de mexer com o coração de todos nós".

 

A declaração deixou uma dúvida no ar por quatro dias. Em um vídeo no canal do filho Luca, no YouTube, Galvão explicou melhor o que queria dizer e afirmou que certamente estaria no Qatar. Assim como fez no Altas Horas, porém, deixou no ar se será como narrador ou apresentador.

 

"Não vou me aposentar. As pessoas não entendem direito o que eu falo (...). O que eu disse: 'faço narrações de Copa do Mundo desde 1974, são 44 anos. Pode ser que essa França x Croácia tenha sido minha última narração de final de Copa do Mundo, não sei. Provavelmente, seja'. Mas, de qualquer forma, quero estar no Qatar. Eu tenho Copa América para fazer em 2019, Olimpíadas em 2020. Em 2022, tem que pensar com calma, não sei o que vou fazer. Tem tanta coisa para fazer: posso fazer uma narração ou outra, tem Jornal Nacional, tem programa. Isso é uma coisa que vamos resolver. Até porque eu tenho que renovar um contrato para saber o que vamos fazer", explicou na ocasião.

 

Em relação à aposentadoria, Galvão Bueno já deixou claro que passa longe de seus planos. Atualmente com 69 anos, o narrador disse no ano passado que trabalhará "até o último dia".

 

"Se eu não me emocionar, não vou poder vender bem o meu produto. Eu tenho uma paixão pelo que eu faço. Eu quero ir até o último dia, se puder, porque tem duas coisas que são fundamentais na minha vida: o amor pela minha família e pela minha profissão. Eu amo demais o que eu faço. São 45 anos de profissão e eu lembro de cada momento, cada alegria, cada tristeza", disse, durante participação no programa Grande Círculo, do SporTV.

 

Galvão Bueno tem convivido com problemas de saúde recentes. O narrador sofreu um infarto no fim do ano passado e precisou ser submetido a um cateterismo para a colocação de stents. Por causa do procedimento, ele não narrou a final da Libertadores entre Flamengo e River Plate.

 

Em outubro, uma gripe atrapalhou o narrador no duelo entre Grêmio e Flamengo, também pela Libertadores. Na ocasião, o problema de saúde atrapalhou a voz dele na hora dos gritos de "gol". Ele chegou a se desculpar por isso.

Do UOL


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.