Com inverno seco, bombeiros alertam para risco de incêndios em vegetação

Santa Catarina já registrou 1.655 ocorrências no período de 1º de janeiro a 12 de agosto

Por Redação Oeste Mais

16/08/2019 08h08 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



A estiagem que tem predominado no inverno catarinense aumenta as chances de incêndios florestais e em áreas de vegetação. O alerta é do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, que registrou 1.655 ocorrências no período de 1º de janeiro a 12 de agosto. O número representa um aumento de 11,9% com relação ao mesmo período de 2018, quando foram registradas 1.479 ocorrências deste tipo.

Já são mais de 1,6 mil casos de queimadas em SC desde o início do ano (Foto: Corpo de Bombeiros)

Regiões atingidas por geadas também são propícias para incêndios, conforme destaca o tenente-coronel Jefferson de Souza. "Este fenômeno causado pelo frio, comum nas regiões da Serra catarinense, costuma gerar seca nas vegetações, o que facilita a propagação de chamas", explica.

 

Ainda sem previsão de volumes de chuva significativos para o estado, o Corpo de Bombeiros chama a atenção para  ações de prevenção a incêndios em vegetação, além de dar dicas sobre como agir em situações de fogo.

 

Prevenção

 

Não apenas no período de geadas e estiagem, mas ao longo de todo o ano, a orientação é que a população não inicie queimadas, principalmente fogo em lixo, terrenos e pastagens. A ação pode ocasionar graves acidentes, lembrando ainda que o vento no local costuma propagar as chamas.

 

Deve-se evitar também acender fogueiras em áreas de vegetação, não jogar bitucas de cigarro na mata ou mesmo em beira de estradas, atitude que muitas vezes passa despercebida e também pode resultar em incêndios.

 

Como agir

 

A orientação é ligar imediatamente para o número 193 ao avistar um incêndio em vegetação. Segundo o tenente-coronel Souza, a tentativa de combate às chamas por alguém não capacitado pode ser feita apenas se o fogo estiver no início, com a utilização de ferramentas, roupas e equipamentos de proteção adequados. "Sem os devidos cuidados, o indivíduo pode sofrer intoxicação pela inalação de fumaça e até mesmo queimaduras em decorrência do forte calor". alerta.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.