Gel para dentição pode fazer muito mal à saúde do bebê, diz estudo

Maioria dos produtos contém sacarose, álcool ou lidocaína na composição, substâncias que podem prejudicar as crianças

27/09/2019 16:32



Quando os dentes do bebê começam a nascer por volta dos seis meses de idade, é comum que ele chore, tenha febre e falta de apetite. Por causa disso, muitas mães recorrem a gel anestésico infantil para aliviar o sofrimento dos filhos.

 

No entanto, o uso desse tipo de produto pode ameaçar o bem-estar do bebê. Estudo realizado pelo Serviço de Saúde Pública do País de Gales descobriu que a maioria dos géis contém sacarose, álcool ou lidocaína na composição. Cada um desses ingredientes interfere na saúde do bebê.

 

A sacarose é um tipo de açúcar que pode aumentar o risco de cárie e o álcool pode interferir no sono. Já a lidocaína pode provocar efeitos colaterais quando usadas em altas doses, incluindo reações alérgicas, tontura, queda de pressão e dor de garganta.

 

A lidocaína é utilizada como anestésico local e precisa ser reaplicada quando seu efeito passa, o que aumenta o risco de contato com altas doses. Por causa disso, as autoridades de saúde orientaram que os pais evitem utilizar produtos que contenham essas substâncias.

Perigo

 

Em 2016, a Food and Drug Administration, agência americana para controle de medicamentos, emitiu um comunicado de alerta depois de ser notificada da mortes de dez crianças e do surgimento de efeitos colaterais em outras 400 – todos ligados ao uso de géis anestésicos para dentição composto por lidocaína.

 

Desde então a agência aconselha os país a evitarem produtos com essa substância. Em maio deste ano, as autoridades de saúde da Austrália já mandaram retirar esses medicamentos do mercado.

 

No Brasil, a maioria dos produtos anestésicos para a dentição são compostos por lidocaína. A venda é autorizada, mas a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) não recomenda o uso.

Da Veja


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.