Conselho Regional de Medicina reforça falta de estudo e eficiência comprovada sobre uso de ozônio contra Covid-19

Prefeito de Itajaí disse que pode usar ozônio por via retal para tratamento do coronavírus

Por Oeste Mais

04/08/2020 16h53 - Atualizado em 04/08/2020 16h53



Após o prefeito de Itajaí Volnei Morastoni (MDB) afirmar que existe a possibilidade de a cidade adotar a aplicação de ozônio por via retal como medida de tratamento contra a Covid-19 em pacientes confirmados e com sintomas, o Conselho Regional de Medicina (CRM) reforçou que não há comprovações científicas sobre a eficiência do uso e que são necessárias mais pesquisas sobre o assunto.

 

O Conselho não detalhou se está ou não investigando a situação, pois o processo é sigiloso, mas reforçou a necessidade de haver comprovação científica da eficácia antes de ser usado

 

Segundo o CRM-SC, uma resolução do Conselho Federal de Medicina proíbe a prescrição de ozonioterapia em consultórios e hospitais. "A exceção pode acontecer em caso de participação dos pacientes em estudos de caráter experimental, com base em protocolos clínicos e critérios definidos pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa", diz o CRM em Nota.

 

Ainda segundo o CRM, o mesmo documento ressalta que não há comprovação sobre os benefícios da técnica para tratamento de doenças e que sempre é necessário validação por parte do órgão federal. "O CRM-SC esclarece que todas as formas de tratamento, não apenas relacionados à Covid-19, devem ser validados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM)", informou.

 

A técnica da ozonioterapia foi rechaçada por especialistas por não ter eficácia comprovada contra o coronavírus. No entanto, o prefeito de Itajaí, que é médico, defende o uso.

 

"É uma aplicação simples, rápida, de dois ou três minutinhos por dia, provavelmente vai ser uma aplicação via retal. É uma aplicação tranquilíssima, rapidíssima de dois minutos com cateter fino, e isso dá uma resultado excelente", disse Morastoni, que também é pediatra e homeopata.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.