Câmera registra onça parda circulando pela mata em Ponte Serrada

Imagens foram capturadas por equipamento de filmagem utilizado para o registro de animais na região

Por Jeferson Rubens Coppini

25/06/2019 21h24 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



"No rastro da onça" escreveu em uma imagem que mostra a pegada do animal (Fotos: Wilamir Branco)

Uma câmera deixada em meio à mata flagrou a passagem de uma onça parda no último final de semana em Ponte Serrada. O equipamento de filmagem foi deixado em uma região próxima ao Parque Nacional das Araucárias e capturou as imagens do felino na manhã do sábado, dia 22 de junho.

 

O responsável pelo registro é um morador do município, que em seus momentos de lazer faz passeios natureza adentro para registrar espécies de animais. Em conversa com o Oeste Mais, Wilamir Branco comentou saber da existência da espécie na região, mas que há tempos não via evidências.

“Aqui na região o pessoal conhece mais como leão-baio, mas a onça parda também é chamada de susuarana, jaguar e leão da montanha”, comenta. Rara de ser avistada, é de hábito solitário, se alimenta de animais de pequeno e médio porte e evita o contato humano, nestes casos agindo em legítima defesa quando se sente acuada – tranquiliza o responsável pelas imagens.

 

A câmera de espera, que é ativada através de um sensor de movimento, estava instalada em meio a uma plantação de pinus. O mesmo equipamento já flagrou inúmeros outros animais, todos arquivados no canal do YouTube do ponteserradense.

 

Além dos vídeos, Wilamir possui um acervo apreciável, com centenas de espécies de aves fotografadas e identificadas. Conforme o entusiasta, já são 292 pássaros registrados por ele apenas no entorno do Parque Nacional das Araucárias. O número fica ainda maior se tratando de imagens capturadas em outras regiões do país e até mesmo nas divisas com alguns países vizinhos.

 

Confira na página Gaia Fotos parte das imagens capturadas por Wilamir.





COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.