Novos senadores e deputados federais tomam posse, mas apenas presidente da Câmara é eleito

Discussão em torno de quem conduziria a sessão levou Senado a adiar votação para escolha do novo presidente para este sábado

Por Oeste Mais

01/02/2019 22:42 - Atualizado em 01/02/2019 22:44



513 deputados tomaram posse na Câmara Federal (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Os deputados federais e senadores da República eleitos em outubro foram empossados nos cargos nesta sexta-feira, dia 1º, na Câmara Federal dos Deputados e no Senado Federal. O presidente da Câmara foi eleito já à note. Mas uma discussão fervorosa no Senado levou a sessão a ser adiada para que a eleição da presidência ocorra neste sábado, dia 2.

 

Ao todo, 513 deputados tomaram posse. No Senado foram 54 senadores — dois terços dos 81 que integram a Casa, já que o mandato é de oito anos, com a renovação de dois terços em uma eleição e um terço na seguinte. Dos 54 leitos, apenas oito já estavam no Senado no ano passado.

 

Na Câmara houve o maior percentual de novatos e de mulheres em mais de 30 anos. O número de partidos também é recorde: 30. Dos 513 deputados empossados, 244 são estreantes, o equivalente a 47,6%. O percentual é ligeiramente inferior ao registrado na eleição da Assembleia Constituinte, em 1986, de acordo com cálculos divulgados pela Agência Câmara. Naquela ocasião, 48,3% dos parlamentares estavam no primeiro mandato.

Deputado Rodrigo Maia em discurso antes da votação (Foto: J.Batista/Câmara dos Deputados)

Presidente da Câmara Federal

 

O deputado federal Rodrigo Maia foi reeleito para o cargo por mais dois anos. Esta é a terceira eleição consecutiva que ele vence para comandar a Casa e ficará no posto até 31 de janeiro de 2021.

 

Na votação, Maia recebeu 334 votos, 77 votos a mais do que o necessário para se eleger no primeiro turno. Em 2017, quando foi eleito presidente pela segunda vez, o deputado do DEM recebeu 293 votos.

 

O segundo colocado na disputa deste ano foi o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG), que recebeu 66 votos. Marcelo Freixo (PSOL-RJ) recebeu 50 votos e foi o terceiro colocado no pleito. JHC (PSB-AL) recebeu 30 votos; Marcel Van Hattem (NOVO-RS) recebeu 23; Ricardo Barros (PP-PR), 4; e General Peternelli (PSL-SP), 2 votos.

 

Eleição adiada no Senado

 

A sessão que definiria o novo presidente do Senado foi suspensa na noite desta sexta-feira e adiada para o final da manhã de sábado. A suspensão foi proposta pelo senador Cid Gomes (PDT-CE) para tentar pôr fim à divergência em torno de quem deveria conduzir a reunião.

 

Houve tumulto durante toda a sessão sobre a condução dos trabalhos pelo senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). Presidente em exercício da sessão, ele colocou a proposta em votação simbólica, e a maioria dos parlamentares concordou em deixar para sábado a eleição para presidência da Casa.

 

Uma ala defendia que Alcolumbre abrisse mão de conduzir os trabalhos por ser candidato a presidente. Outra ala defendia a suspensão da sessão a fim de que os parlamentares chegassem a um acordo sobre quem passaria a conduzir a sessão.

 

Outro ponto de forte embate entre os senadores foi sobre a votação. Um grupo defendia que a votação fosse aberta, enquanto outra defendia votação secreta. A sessão será retomada às 11 horas deste sábado.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.