Focos de queimadas na Amazônia são quase cinco mil em setembro

Informações são obtidas por meio de satélites, com resultados diários

Por Oeste Mais

09/09/2019 13:58 - Atualizado em 09/09/2019 13:58



Nos primeiros oito dias do mês de setembro foram registrados 4.935 focos de queimadas no bioma Amazônia, de acordo com o sistema de monitoramento de focos ativos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

 

O número representa uma queda de 61% em relação ao mesmo período no ano anterior. O dado mais recente do Programa Queimadas é do último domingo, dia 8. 

 

Do início de janeiro até este domingo, o bioma Amazônia acumula 51.760 focos de queimadas. No mesmo período do ano anterior, foram 34.995 focos. O aumento neste ano é, portanto, de 48%.

 

Considerando todo o território nacional, o mês de setembro de 2019 começou com menos focos ativos do que setembro de 2018. Até o dia 8, são 12.285 focos de queimadas em setembro deste ano, ante 17.705 nos mesmos dias do ano passado.

 

No bioma Amazônia, setembro deste ano também registrou menos queimadas nos primeiros dias. Foram 12.831 focos nos primeiros 8 dias de setembro do ano passado, contra 4.935 focos no mesmo período neste ano.

 

No acumulado do ano, de janeiro até 8 de setembro de 2019, o sistema registra 102.786 focos no Brasil, o que representa um aumento de 45% ante os 70.631 focos observados no mesmo período de 2018.

Foco de fogo na floresta amazônica na cidade de União do Sul, em Mato Grosso, no dia 4 de setembro de 2019 (Foto: Amanda Perobelli)

Maior número em 9 anos

 

O mês de agosto deste ano terminou com o maior número de focos desde 2010 e registrou índice 19% acima da média dos últimos 21 anos. As queimadas no bioma Amazônia aumentaram 196% em agosto, chegando a 30.901 focos ativos, ante 10.421 no mesmo mês do ano passado.

 

A média de focos do mês de agosto foi ultrapassada no dia 25, quando o site do Inpe indicava 25.934 focos de incêndio no bioma.

 

Se considerarmos todo o território do país, as queimadas também tiveram alta: foram 51.936 focos em agosto, aumento de 128% em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando foram identificados 22.774 focos. Estes são os maiores números registrados para agosto desde 2010, ainda de acordo com dados do Inpe.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.