Bolsonaro anuncia fim de lombadas eletrônicas no país

Presidente fez uma transmissão ao vivo em seu perfil no Facebook na noite desta quinta-feira

Por Oeste Mais

08/03/2019 10:00 - Atualizado em 08/03/2019 10:00



Anúncio ocorreu em transmissão ao vivo feita nesta quinta-feira (Foto: Reprodução/Facebook)

O presidente Jair Bolsonaro fez na noite desta quinta-feira, dia 7, pela primeira vez após tomar posse do cargo, uma transmissão ao vivo em sua página no Facebook. O recurso foi bastante utilizado por ele durante a campanha eleitoral.

 

Entre os assuntos, Bolsonaro afirmou que o país não terá mais lombadas eletrônicas. “Há uma quantidade enorme [de lombadas eletrônicas] no Brasil. É quase impossível viajar sem receber multa. E a gente sabe, ou desconfia, que o objetivo não é reduzir acidente”, disse.

 

Segundo ele, os equipamentos que estão em funcionamento serão mantidos até o final dos contratos. O presidente também afirmou que não será permitido às concessionárias de rodovias utilizarem valores que deveriam, por contrato, serem direcionados à manutenção para a instalação de lombadas.

 

Bolsonaro também informou que o projeto já anunciado para aumentar o período de validade da carteira de motorista de cinco para dez anos está em fase final de elaboração, no Ministério da Infraestrutura.

 

Outros assuntos

 

O presidente ainda defendeu brevemente a reforma da Previdência e atacou a imprensa por uma reportagem divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, que aponta aumento de 16% no uso do cartão corporativo de servidores ligados à Presidência nos dois primeiros meses de governo, em relação aos primeiros bimestres dos últimos quatro anos.

 

Segundo ele, o aumento ocorreu devido ao período da posse presidencial e a necessidade de preparar a cerimônia no Palácio do Planalto. “No global [envolvendo cartões usados em ministérios], baixou 28%. A imprensa pegou aquela parte negativa e divulgou”, argumentou Bolsonaro.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.