Força Aérea Brasileira lança dois satélites de monitoramento contínuo

Equipamentos vão produzir imagens de alta resolução para apoiar a segurança e preservação ambiental do país

Por Redação Oeste Mais

26/05/2022 16h16



Satélites foram lançados na órbita nesta quarta-feira (Foto: FAB)

A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, nesta quarta-feira, dia 25, o lançamento dos primeiros satélites do Projeto Lessonia - 1. Batizados de Carcará I e Carcará II, os satélites foram lançados por meio do foguete Falcon 9, da SpaceX, no Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral, nos Estados Unidos.

 

No Brasil, a operação foi acompanhada do Centro de Operações Espaciais (COPE), em Brasília (DF), com transmissão, ao vivo, pelo canal no Youtube.

 

Eles vão permitir que áreas de interesse do Brasil sejam monitoradas de forma contínua para combater crimes como tráfico de drogas e monitorar desastres naturais.

 

O Projeto Lessonia consiste na aquisição de uma constelação de satélites de órbita baixa. O sistema de imagem do projeto utiliza um Sensor Ativo de Detecção capaz de gerar imagens em alta resolução a qualquer hora do dia ou da noite, independentemente das condições meteorológicas, pois o sinal emitido atravessa as nuvens. 

 

De acordo com a Aeronáutica, cada satélite tem dimensão de um metro cúbico, pesa cerca de 100 quilogramas (Kg) e possui cinco painéis solares.

 

Origem do nome

 

O nome Carcará é uma homenagem a ave de rapina brasileira. As imagens captadas serão utilizadas também em apoio ao combate à mineração ilegal, atualização de produtos cartográficos, determinação da navegabilidade dos rios, visualização de queimadas e controle das fronteiras.

 

Sistemas espaciais

 

O Lessonia integra o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE).

 

Os satélites visam atender às necessidades operacionais das Forças Armadas do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), bem como de agências governamentais.

 

No futuro, também está prevista a implantação de um conjunto de satélites, de fabricação nacional, para obtenção de imagens óticas atendendo, assim, a todas as demandas governamentais.

Cerimônia de lançamento foi acompanhada do Centro de Operações Espaciais (COPE), em Brasília (Foto: FAB)

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.