Brasil registra 1.382 novas mortes por coronavírus em 24 horas e total passa de 37 mil

Total de casos da doença confirmados é de 685.427 mil

Por Oeste Mais

08/06/2020 08h21


O Brasil registrou 1.382 novas mortes causadas pela Covid-19 nas últimas 24 horas. Com os novos números, o total de mortes chegou a 37.312 mil neste domingo, dia 7. Somente na última semana o país teve três dias com recorde de confirmações de óbitos. O total de casos da doença confirmados é de 685.427 mil com um acréscimo de 12.581 mil infectados confirmados no último dia.

 

Os números, no entanto, devem ser maiores do que os dados oficiais, uma vez que a quantidade de testes para detectar a doença é baixo no país.

 

Neste domingo, o número de mortes causadas pela pandemia do novo coronavírus passou dos 400 mil em todo mundo, segundo a plataforma da universidade americana Johns Hopkins que acompanha os dados da doença.

 

O Brasil é, atualmente, o terceiro país com o maior número de óbitos, atrás de Estados Unidos (110 mil) e Reino Unido (40 mil). No número de casos confirmados o Brasil é o segundo no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos (quase dois milhões de casos).

 

Na última quinta-feira, dia 4, exatamente cem dias após a confirmação do primeiro caso no país, o Brasil registrou 1.473 mortes em 24 horas, o equivalente a mais de uma morte por minuto.

 

Ministério restringiu dados divulgados na última semana

 

O Ministério da Saúde fez mudanças na maneira de divulgar os dados oficiais na última semana, e passou a omitir os números totais de casos da covid-19 e mortes causadas pela doença.

 

O portal covid.saude.gov.br, canal que divulga as informações oficiais na internet, ficou inacessível desde a noite da sexta-feira, dia 5, até a tarde do sábado, dia 6. Quando voltou a funcionar, o site exibia somente os novos números de casos e mortes, sem mostrar os números acumulados.

Com informações do Diário Catarinense

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.