Bolsonaro diz que Trump deu número pessoal para ligar ‘quando quiser’ e que encontro abre ‘novas frentes de cooperação’

Presidente brasileiro esteve nos Estados Unidos com o presidente americano Donald Trump

Por Redação Oeste Mais

20/03/2019 08h37 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



O presidente Jair Bolsonaro embarcou na noite desta terça-feira, dia 19, de volta ao Brasil depois de se reunir com o presidente Donald Trump, nos Estados Unidos.

 

Antes da partida, Bolsonaro jantou com o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, em uma confraternização de despedida da viagem do presidente a Washington.

Jair Bolsonaro e Donald Trump em discurso no Rose Garden da Casa Branca, em Washington (Foto: Isac Nóbrega/PR)

Convidados que estiveram presentes contaram que o presidente e os ministros estavam satisfeitos com os resultados da viagem. Bolsonaro chegou a dizer que Trump deu seu número de telefone pessoal para ele, para que pudesse “ligar quando quiser”.

 

Bolsonaro afirmou que o encontro marca um “capítulo inédito” que abre “novas frentes de cooperação”. Ele destacou os esforços do seu governo para implementar as reformas em curso e o equilíbrio das contas públicas. Segundo o presidente brasileiro, a dispensa de vistos para norte-americanos é para estimular o comércio e o turismo.

 

Bolsonaro ainda agradeceu o apoio de Trump ao ingresso do Brasil na Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) — grupo que reúne 36 países que se guiam pelos princípios da democracia representativa e economia de mercado.

 

“O apoio americano ao ingresso do Brasil na OCDE será entendido como um gesto de entendimento que marcará ainda mais a parceria que buscamos”, frisou.

 

O presidente destacou ainda a negociação para que o Brasil ingresse como parceiro externo na Organização do Tratado Atlântico Norte (Otan), aliança militar criada em 1949 e que reúne 29 países, regido pelo princípio da defesa mútua em caso de ataques. "Discutimos a possibilidade de o Brasil entrar como aliado extra-Otan", disse Bolsonaro.

 

Bolsonaro também ressaltou parcerias com os Estados Unidos nas áreas de combate ao terrorismo e crime organizado, ciência, tecnologia e inovação, energia, óleo e gás. “Este encontro retoma uma antiga tradição de parceria e ao mesmo tempo abre um caminho inédito entre Brasil e Estados Unidos”.

 

O presidente disse que o encontro com Trump destravou temas que aguardavam negociação.

 

“Hoje destravamos vários assuntos que já estavam na pauta há décadas e abrimos novas frentes de cooperação. Esta é a hora de superar velhas resistências e explorar todo o vasto potencial que existe entre Brasil e Estados Unidos. O Brasil tem um presidente que não é anti-americano, caso inédito nas últimas décadas”.

 

O presidente brasileiro ainda reiterou a disposição em manter o intenso comércio com a China e o máximo de parceiros. Porém, ressaltou que não haverá viés ideológico. “O Brasil continuará fazendo negócios com o maior número o possível [de parceiros]. Apenas não será pelo viés ideológico”.

Com informações da Agência Brasil e do O Globo


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.