Pagamento de PIS/Pasep começa nesta quinta-feira para nascidos em janeiro e fevereiro

Estimativa do governo é que mais de R$ 2,8 bilhões sejam pagos a 3,4 milhões de trabalhadores

Por Oeste Mais

16/01/2019 11h09 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Começa a ser pago nesta quinta-feira, dia 17, o abono salarial PIS do calendário 2018-2019, ano-base 2017, para os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em janeiro e fevereiro. O PIS é pago na Caixa Econômica Federal. Também será liberado o Pasep, pago a servidores públicos por meio do Banco do Brasil, para quem tem final da inscrição 5.

 

A estimativa da Secretaria do Trabalho, do Ministério da Economia, é que mais de R$ 2,8 bilhões sejam pagos a aproximadamente 3,4 milhões de trabalhadores.

 

De acordo com o calendário, os nascidos entre janeiro e junho receberão o PIS no primeiro trimestre. Em qualquer situação, o recurso ficará à disposição do trabalhador até 28 de junho, prazo final para o recebimento. O valor do abono varia de R$ 83 a R$ 998, dependendo do tempo em que a pessoa trabalhou formalmente em 2017.



Quem tem direito

 

Tem direito ao abono salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante pelo menos 30 dias em 2017. É preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), ano-base 2017.

 

O valor do abono é associado ao número de meses trabalhados no exercício anterior. Portanto, quem trabalhou um mês no ano-base 2017 receberá 1/12 do salário mínimo. Quem trabalhou 2 meses receberá 2/12 e assim por diante. Só receberá o valor total quem trabalhou o ano-base 2017 completo.

 

Para saber se tem direito e como sacar, o trabalhador pode fazer uma consulta ainda no site www.caixa.gov.br/pis, em Consultar Pagamento. É preciso ter o número do NIS (PIS/Pasep) em mãos.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.